MiniLab OPCom

Limpeza de Óleo e Monitoramento do Desgaste

Posted on Posted in Automação Industrial

Limpeza de óleo e monitoramento do desgaste através da moderna tecnologia de medição de partículas

Nos sistemas hidráulicos, o óleo é considerado um elemento de suma importância pois lida com diversas tarefas. O fluido hidráulico transmite energia, lubrifica, transfere calor e transporta sujeira aos filtros. Embora existam muitas causas de falha nos sistemas hidráulicos, a falta de limpeza do óleo é geralmente o fator principal além da fadiga mecânica ou sobrecarga de componentes individuais. Muitas vezes, as partículas no fluido são a causa do desgaste excessivo e do dano do componente.

As partículas indesejáveis ​​podem entrar em um sistema de fora, como através de ventiladores ou vedações desgastada e até via haste de cilindro riscada; ou são gerados pelo desgaste interno. As conseqüências da contaminação de partículas são o aumento do desgaste, taxas de falha de componentes maiores, menor desempenho do sistema e vida-útil mais curta. O óleo sujo, portanto, leva a altos custos de propriedade – e é por isso que os filtros de alta qualidade devem ser usados ​​para manter os sistemas hidráulicos limpos.

Este gráfico mostra um exemplo de medição de concentração de partículas durante a limpeza de uma máquina de moldagem por injeção com uma unidade móvel de filtro off-line.

 

Para reduzir ainda mais os custos operacionais, no entanto, há maior interesse entre fabricantes de máquinas e usuários para detectar o desgaste dos componentes no início, para que possam evitar danos ou avarias. Por exemplo, os fabricantes podem monitorar o uso e o serviço adequados de seus equipamentos medindo regularmente o número e a composição das partículas no óleo e, assim, reduzem os custos da garantia. E a partir das informações obtidas, os OEMs podem identificar oportunidades de otimização para melhorar seus produtos.

Além disso, a tecnologia de medição de partículas é uma ferramenta de desenvolvimento comprovada para avaliar o desgaste em bombas, engrenagens, rolamentos e outras peças críticas. Aqui, os engenheiros tendem a medir e rastrear a pureza do fluido e qualquer desgaste do próprio componente. Além disso, a medida das partículas é cada vez mais utilizada para ajudar a controlar os processos de limpeza. Aqui, os padrões de qualidade devem garantir que os sistemas de filtragem satisfaçam os requisitos de pureza especificados. Sistemas de limpeza de óleo atendem a essa demanda integrando a tecnologia de medição de partículas em suas instalações, deixando-as documentar todos os processos de limpeza.

 

Opções de medição de partículas

Ao considerar qual método é mais adequado para o monitoramento, a relação custo-benefício deve ser primordial. Assim verifica-se não só o custo para se analisar uma única amostra de óleo, mas também o risco de falha e os custos resultantes de danos ou tempo de inatividade da máquina e/ou processo de fabricação.

Exemplos de Danos do óleo sujo

Felizmente, os fabricantes de sistemas de controle de contaminação, como a ARGO-HYTOS, oferecem muitos sensores e instrumentos diferentes para a medição de partículas que permitem um monitoramento efetivo e barato na maioria das aplicações.

Os sensores de partículas automáticos geralmente oferecem a melhor relação preço-desempenho, permitindo medir on-line o tamanho e o número de partículas em tempo real. Os procedimentos manuais alternativos, como microscopia ou gravimetria, são complexos, propensos a erros e ineficientes.

As vantagens da medição on-line em relação à análise laboratorial convencional não se limitam apenas uma manipulação mais simples e custos mais baixos, mas especialmente a medidas desobstruídas. Os dados medidos não refletem um instantâneo arbitrário, mas detectam mudanças contínuas do estado do fluido. Assim, uma manutenção preditiva dependente do estado atual torna-se possível.

 

Os usuários experientes sabem que a precisão é determinada em grande parte pelo cuidado da amostragem e da análise. Particularmente em relação à concentração de partículas, amostragem e análise inadequadas podem distorcer significativamente os resultados da medição. Os instrumentos automáticos de medição de partículas garantem uma repetibilidade e comparabilidade ótimas em vários testes.


Veja aqui alguns dos produtos disponíveis da ARGO-HYTOS que são fundamentais para a moderna tecnologia de medição de partículas.

Medição Óptica de partículas

Como padrão para a medição de partículas on-line, o método óptico baseado no princípio de bloqueio de luz de acordo com o ISO 11500 predomina porque é barato e bastante confiável.

Aqui, as partículas a serem contadas são medidas opticamente em um capilar. Se não houver partículas na célula de medição, a luz brilha sem impedimento em um fotodiodo. No entanto, uma partícula que passa a célula de medição bloqueia o feixe de luz, gerando uma sombra no fotodiodo oposto. O tamanho da sombra é proporcional ao tamanho da partícula e, portanto, pode ser usado para caracterizar o contaminante.

Posteriormente, o número medido de partículas está relacionado ao volume de medição e relatado em termos de concentração. Os resultados podem ser representados de acordo com padrões diferentes, que o usuário pode selecionar no instrumento de medição. Além do padrão comum ISO4406: 1999, os dispositivos ARGO-HYTOS também oferecem relatórios SAE AS 4059, GOST 17216 e NAS 1638.

Imagem do Software Gratuito LubMon Config da Argo-Hytos, para monitoramento de condição de óleo.

Contador de partículas

Os contadores de partículas são particularmente adequados para uma medição extremamente precisa da contaminação do óleo no laboratório ou no campo. A unidade de última geração da ARGO-HYTOS, a OPCount, foi projetada para uso em máquinas hidráulicas. Sua célula de medida de partículas volumétricas integrada garante que cada partícula que flui através do sensor é medida com precisão.

Contador de Partículas OPCount

Uma bomba interna permite medições online, em garrafas ou em tanques. O dispositivo pode, desse modo, ser operado intuitivamente por meio de uma tela sensível ao toque e perfis de medição convenientes. A medição de dados e informações adicionais sobre a amostra, como temperatura, viscosidade ou tipo de óleo, podem ser armazenadas ou impressas. Todos os acessórios necessários para tomar medidas armazenam-se perfeitamente dentro do dispositivo, o que simplifica o manuseio.

O contador de partículas OPCount é freqüentemente usado para monitoramento de rotina, controle de qualidade ou análise de falhas. Ele permite aos usuários criar bancos de dados a partir dos quais se pode ajudar a entender e rastrear o histórico do óleo em uma máquina. Com isso, os engenheiros podem obter informações valiosas sobre a limpeza, condição e desempenho do equipamento.

Como opção, os usuários também podem conectar um sensor de condição ARGO-HYTOS LubCos ao OPCount. Isso permite o rastreamento de parâmetros adicionais, como temperatura, umidade e qualidade do óleo.

 

Monitor de partículas

Para sistemas onde a medição de partículas não deve ser apenas automática, mas durável, é necessário um dispositivo instalado permanentemente. Aqui, recomenda-se monitores de partículas compactos e robustos que possam ser facilmente integrados em um sistema hidráulico.

Monitor de Partícula OPCom

O equipamento fixo e móvel pode enfrentar condições de operação exigentes. Isso pode incluir altas pressões e temperaturas, sujeira, umidade e vibrações. Portanto, equipamentos de medição com um design robusto são essenciais para garantir o funcionamento a longo prazo. Todos os componentes, incluindo fonte de luz, detector e caixa, devem atender a requisitos rigorosos.

 

Como exemplo, o monitor de partículas ARGO-HYTOS OPCom – com uma classe de proteção IP67 e imunidade de choque e ruído correspondente – é adequado para aplicações exigentes. Uma aplicação comprovada para a medição de partículas on-line é monitorar a limpeza do óleo em aplicações industriais pesadas, tais como prensas ou máquinas de moldagem por injeção.

 

Medição indutiva de partículas

Sensor de desgaste OPCom FerroS

Detectores indutivos de partículas de metal são utilizados para a detecção seletiva de partículas de desgaste ferromagnético. Especificamente projetado para engrenagens e uma alternativa econômica para detectores convencionais de partículas de metal, o sensor de desgaste OPCom FerroS trabalha com o princípio de um plug magnético e acumula partículas ferromagnéticas usando um íman permanente. Uma bobina na cabeça do sensor detecta as partículas acumuladas e gera um sinal de medição proporcional à quantidade acumulada. Para medição contínua, o sensor pode ser limpo automaticamente.

 

 

Caixa de engrenagens com OPCom FerroS e partículas acumuladas

O uso deste princípio de medição comprovado permite a integração fácil do sensor diretamente no sistema. Em contraste com sensores comparáveis, ele funciona mesmo quando nenhum fluxo é gerado.

 

ARGO-HYTOS – Soluções para Limpeza de Óleo e Monitoramento de Desgaste.

www.argo-hytos.com

2 thoughts on “Limpeza de Óleo e Monitoramento do Desgaste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *